ISSN: 2595-6213




Odara

A Odara é uma publicação semestral dedicada a discussão, pensamento e arte, mantida e editada por alunos da Faculdade de Letras da UFRJ. Sua circulação eletrônica é de acesso livre.

A chamada para nosso próximo número já está aberta! Clique aqui ou em "Próximo Número"!

Número atual

Vol.5, nº5, 2018: Direito à Literatura, Direito ao Grito

Nesta edição, a Odara traz uma nova parceria: resolvemos publicar os artigos publicados no evento Claro Enigma, que aconteceu nos dias 7 e 9 de novembro de 2017. O evento é organizado pelos monitores do Departamento de Ciência da Literatura e tem como objetivo articular as pesquisas dos alunos de Iniciação Científica do departamento. Sendo assim, a Odara tomou para si o tema “Direito à Literatura, Direito ao Grito” para dar mais visibilidade ao que está sendo produzido pelos alunos de graduação. Sem querer deixar de lado a parte criativa da revista, aceitamos também, de muito bom grado, poemas e contos para compor a quinta edição da Odara. Apresentamos, então, a nossa mais nova edição “Direito à Literatura, Direito ao Grito”!

Leia aqui

Chamada para próximo número

Vol. 5, nº 6, 2018: A voz dela é da força de um punho

Precisamos acreditar que as minorias e os movimentos sociais estão, aos poucos, tomando forma e projetando suas vozes para que, finalmente, sejam escutados por aqueles que estão no poder. Nesta edição, a Odara traz uma questão que acreditamos que está na cabeça de todos: a voz feminina e o poder das mulheres em nossa sociedade. Os movimentos feministas que lutam pela legalização do aborto estão cada vez mais presentes. A América Latina se uniu em palavras de ordem como “Ni una menos”, palavras que gritam contra o feminicídio e surgiram após o assassinato de Chiara Paez, de 14 anos, pelo namorado, de 16.

Recentemente, as mulheres argentinas saíram de verde pelo aborto legal, seguro e gratuito. Apesar de ter sido vetada pelo Senado, a possibilidade da descriminalização do aborto causou uma série de mobilizações, inclusive no Brasil, mostrando a força que as mulheres têm.

Angélica Freitas, poeta, feminista e autora de Um útero é de um tamanho de um punho, traz reflexões sobre o papel da mulher na sociedade; uma mulher boa é uma mulher limpa e num útero cabem cadeiras e cabem médicos; e para que se serve um útero quando não se fazem filhos?

Sendo assim, a Odara convida todas e todos a refletir sobre a força da voz feminina na sociedade atual. Aceitamos contos, crônicas, resenhas, poemas, artigos acadêmicos, ilustrações, fotografias, charges, quadrinhos e colagens.

Submissões até 30 de setembro de 2018. Ver "Normas de Publicação"!